ícone face twitter instagram

Empoderamento feminino é exaltado no Dia da Mulher

07.03.19 - 14H11
Foto: ivanovgood on Pixabay

Foto: ivanovgood/Pixabay

 

Estreia da Faixa Mulher, debates e seleção musical feita só por mulheres fazem parte da programação

De luta e reivindicação se faz o Dia da Mulher, desde que passou a ser reconhecido como uma celebração no calendário mundial, e na Frei Caneca FM não será diferente. Nesta sexta-feira, 8 de março, a emissora pública ligada à Fundação de Cultura Cidade do Recife terá uma faixa especial para tratar dos temas que perpassam o empoderamento feminino, entre as 12h e as 14h. O programa marcará a estreia da faixa dedicada às mulheres, que passará a ser veiculada de segunda a sexta-feira, sempre das 12h às 13h.

Das 12h às 13h, o "Mulher na Caneca" estreia em novo dia e horário, com entrevista à socióloga Betânia Ávila, uma das fundadoras do SOS Corpo - Instituto Feminista para a Democracia, falando sobre feminismo, conquistas e lutas das mulheres. Das 13h às 14h, os passarão pelo estúdio da Frei Caneca FM as produtoras dos quatro novos programas que farão parte da Faixa Mulher, três deles selecionados através do Edital Complementar de Ocupação da Grade de Programação da rádio.

O TPM - Tempo pra Mim, que vai ao ar nas segundas-feiras, será apresentado pela radialista Priscila Xavier. Nas terças será dia de Manas, Minas e Mamas, que estará representado pela jornalista Janaína Serra; nas quartas vai ao ar o Vozes do Campo e da Cidade, que será comentado pela jornalista Elka Macedo; nas quintas será a vez do Mulher Faz Política todo Dia, que será  explicado pela gestora de projetos culturais e sociais, Daiane Dultra.

Além do espaço para o debate, o dia inteiro será dedicado à uma seleção musical não apenas cantada por mulheres, mas também representando uma leva recente de produção musical com conteúdo feminista. Do reggae ao rock, passando pelos mais diversos gêneros, como samba, forró, blues e rap. Nomes como Janis Joplin e Elza Soares estarão juntos e misturados com as pernambucanas Aninha Martins, Ylana Queiroga, Arrete, Flaira Ferro e Selma do Samba.

A programação vai contar também com artistas da África do Sul, Cabo Verde, Jamaica, Mali e Chile, como Miriam Makeba, Sister Nancy, Cesária Evora, Inna Modja e Anna Tijoux. Mulheres trans também fazem parte da programação, representadas por Urias, As Bahias e a Cozinha Mineira e Linn da Quebrada.