Rádio

Quem bebe de minha Caneca tem sede de Liberdade - Frei Caneca

Nada mais emancipador para o indivíduo e para a coletividade do que o direito à voz. Entender a comunicação como um direito humano nos leva a uma perspectiva de respeito à opinião, ao ponto de vista, ao direito de discordar e ao exercício político e democrático da argumentação. Construir de forma coletiva e sobretudo republicana uma sociedade justa eram preceitos do patrono da Rádio Pública do Recife.

A Rádio Frei Caneca se propõe a contribuir para esta construção, a partir de uma prática comunicativa agregadora e difusora de conteúdos de interesse público, e para isso iniciou um conjunto de ações com o objetivo de viabilizar o projeto com a participação e contribuição efetiva da sociedade.

Tirar do papel o projeto da Rádio Frei Caneca é avançar para atender da melhor forma as demandas dos artistas, do público e da história, através de uma concepção sólida, coerente, democrática e realizada de forma participativa. Desta forma, será possível atualizar a sociedade em relação a experiências nacionais e estrangeiras, além de garantir o uso da memória do que já foi proposto por outros profissionais que atuaram na tentativa de fazer este mesmo trabalho outrora.

  • História

    A Rádio Frei Caneca FM é uma emissora pública da cidade do Recife, que está em processo de implantação. O projeto da Rádio Frei Caneca foi aprovado em 1960, através de uma iniciativa do ex-vereador Liberato Costa Jr. Até junho de 2011, o projeto esteve em tramitação na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), até que a instituição ligada ao Ministério das Comunicações concedeu o canal 268/E para a cidade do Recife.

    A missão da rádio contempla o fortalecimento da cultura pernambucana, a promoção da informação de qualidade e o incentivo à cidadania, através de conteúdos e ações comprometidos com a prestação de um serviço público de comunicação.

  • Técnica

    O projeto de implementação da Rádio Frei Caneca se utilizará do canal 268/E, outorgado para a Prefeitura do Recife em junho de 2011. A antena e o transmissor da emissora serão posicionados no alto do edifício sede da Sudene, localizado no bairro do Engenho do Meio...

    Técnica

    O projeto de implementação da Rádio Frei Caneca se utilizará do canal 268/E, outorgado para a Prefeitura do Recife em junho de 2011. A antena e o transmissor da emissora serão posicionados no alto do edifício sede da Sudene, localizado no bairro do Engenho do Meio.

    Este processo tem à frente o engenheiro Nédio Cavalcante, renomado profissional do setor com mais de 40 anos de experiência no mercado da radiodifusão no Brasil. Os estúdios, produção e programação serão instalados na sede da rádio, que fica no bairro do Recife Antigo, na rua da Guia, 95, ao lado do Paço do Frevo, equipamento cultural de preservação e difusão do Frevo mantido pela Prefeitura do Recife em parceria com a Fundação Roberto Marinho.

  • Participação

    A concepção das políticas de gestão da emissora serão debatidas com a participação da sociedade civil e do Conselho de Cultura da Cidade do Recife. Três grupos de trabalho serão formados com o objetivo de debater e construir propostas para os eixos Gestão, Financiamento e Programação...

    Participação

    A concepção das políticas de gestão da emissora serão debatidas com a participação da sociedade civil e do Conselho de Cultura da Cidade do Recife. Três grupos de trabalho serão formados com o objetivo de debater e construir propostas para os eixos Gestão, Financiamento e Programação.

    O cidadão poderá participar do processo informando-se através do site (freicanecafm.org), acompanhando as atas das reuniões e enviando propostas para os grupos.

  • Emissora Pública

    A programação de uma emissora pública deve ser o reflexo da comunidade/cidade/região onde está inserida. Precisa ter "a cara" do seu ouvinte/cidadão, o que não significa apresentar uma única face, mas todas as características que mostram a diversidade cultural destes homens e mulheres, seus anseios, desejos e orgulhos...

    Emissora Pública

    A programação de uma emissora pública deve ser o reflexo da comunidade/cidade/região onde está inserida. Precisa ter "a cara" do seu ouvinte/cidadão, o que não significa apresentar uma única face, mas todas as características que mostram a diversidade cultural destes homens e mulheres, seus anseios, desejos e orgulhos. Nas locuções, ter o orgulho do sotaque local na voz de seus apresentadores e ao mesmo tempo estar aberta aos diversos sotaques do português, entendendo as diferenças que formam esse povo mestiço como nossa maior riqueza.

    É importante que uma emissora pública tenha ainda em seus programas seleção musical com a maioria de nossos artistas locais, respeitando as mais diversas tendências, estilos e formatos, provenientes de várias gerações e movimentos artísticos, convivendo harmoniosamente e abrindo espaços não menos importantes para toda a diversidade da produção musical brasileira e mundial, independente de preceitos estéticos e de incompreensões geracionais.

    Seu jornalismo deve ter abordagem plural e diversa, entender e apresentar as informações não apenas como noticias isoladas, mas como fatos pertencentes à uma cadeia de acontecimentos de uma sociedade interligada de valores, histórias e interesses, convidando o cidadão à refletir e formar suas próprias idéias. Uma emissora pública precisa defender e promover a igualdade de direitos para homens e mulheres, independente de sua classe social, orientação sexual, opção religiosa ou etnia e, principalmente, garantir voz e direito de livre opinião à todos os lados envolvidos.

Apoio e Realização

Carregando...